Tudo sobre ginecomastia no homem

A ginecomastia é um problema bastante incómodo para os homens. Devido a um desequilíbrio hormonal, as glândulas mamárias aumentam e ficam com um aspeto bastante semelhante ao dos seios femininos. A ginecomastia acontece com maior frequência na adolescência e na velhice (alturas de grandes alterações hormonais) e não está associada a nenhuma outra doença em particular. Caracteriza-se pela acumulação de gordura localizada e excesso de tecido glandular na região peitoral. Pode acontecer de forma unilateral ou bilateral, ou seja, apenas em uma ou nas duas mamas masculinas. Saiba tudo sobre a ginecomastia no homem e de que forma a cirurgia plástica pode ser uma boa aliada.
Quais são as principais causas da ginecomastia?

  • Hereditariedade
  • Consumo de drogas
  • Alterações hormonais
  • Uso de esteroides anabolizantes
  • Efeitos secundários de alguns medicamentos
  • Em casos raros: hipertiroidismo e tumores 

Como tratar a ginecomastia?

  • Medicação – Quando a ginecomastia é detetada numa fase inicial, pode ser revertida através de medicação.
  • Mamoplastia redutora – É uma cirurgia plástica que reduz o tamanho da mama e aperfeiçoa o tamanho do tórax. É indicada para quem sofre de ginecomastia ou para quem pretender diminuir o tamanho da mama masculina.

Graus de ginecomastia

  • Grau l: Existe tecido glandular sob a mama, sem flacidez na pele. A cirurgia estética deixa uma cicatriz, que fica escondida na área inferior da aréola do mamilo do homem.
  • Grau ll: A ginecomastia está espalhada pelo tórax, com tecido glandular e gordura situados na região peitoral e sem flacidez na pele. É o tipo mais comum de ginecomastia e a cirurgia plástica deixa resultados tão bons e discretos quanto a cirurgia para grau I.
  • Grau lll: Ocorre quando a ginecomastia ocupa toda a região peitoral, com grande flacidez na pele e com presença de tecido glandular e gordura na região. É uma cirurgia estética que requer anestesia geral e deixa cicatrizes maiores, uma vez que parte da pele é retirada.

Quando considerar fazer uma mamoplastia redutora?

  • Quando o tamanho do peito altera/prejudica o estilo de vida do homem.
  • Quando o crescimento da mama masculina já está estabilizado.
  • Caso não consiga reverter o problema através de métodos alternativos.
  • Se estiver fisicamente saudável.
  • Caso não tenha dependência de álcool ou de drogas.

Como se realiza o procedimento da mamoplastia redutora?

  • O tipo de mamoplastia redutora depende da severidade da ginecomastia.
  • A anestesia pode ser local ou geral, dependendo do tamanho da mama masculina e da incisão.
  • Quando a mama masculina tem uma grande quantidade de tecido adiposo, deve ser acompanhada de lipoaspiração.
  • A cirurgia dura entre 1 e 2 horas.
  • O homem pode ficar internado entre 12 e 24 horas, dependendo do tipo de anestesia utilizado. 

Recuperação e cuidados pós-cirúrgicos

  • Durante o primeiro mês após a cirurgia, o homem não deve fazer qualquer tipo de esforço físico.
  • Nos primeiros 3 dias depois da cirurgia pode ser necessária a utilização de drenos no local da intervenção. 
  • O inchaço pós-operatório dura entre 7 e 10 dias.
  • Pode perder a sensibilidade, parcial ou total, na região do mamilo.
  • Deve utilizar uma faixa de compressão sobre o tórax, seguindo as instruções do cirurgião plástico.
  • Dores moderadas são normais após a intervenção e são facilmente controladas com medicação.  
  • Durante os primeiros tempos, o homem não deve movimentar os membros superiores de forma excessiva.
  • Evitar a exposição ao sol até ordens em contrário por parte do médico.
  • Pacientes fumadores não devem fumar nos primeiros 15 dias de recobro.
  • A cicatriz, com o tempo, vai desaparecendo.

Quais os riscos associados à mamoplastia redutora?
Antes de se submeter à mamoplastia redutora deve conversar com o seu cirurgião plástico sobre toda a intervenção, inclusive sobre os riscos que lhe estão associados. O seu médico é a melhor pessoa para lhe explicar todo o processo e para o tranquilizar. Principais riscos a ter em consideração:

  • Hematomas
  • Infeção
  • Queloide
  • Má cicatrização
  • Assimetria da mama masculina
  • Riscos anestésicos  

Resultados finais
Como qualquer cirurgia plástica, a mamoplastia redutora visa alcançar o resultado mais perfeito possível. No entanto, nos casos em que a ginecomastia está num grau mais avançado, pode ser necessário mais do que uma intervenção cirúrgica. Não deve esquecer que, na adolescência, a ginecomastia pode ser considerada normal e transitória, não necessitando de tratamento.

A sua votação: 
0
Sem votos